Nota em defesa da Redução de Danos

 

Sã Consciência manifesta veemente repúdio frente à lógica que o governo atual adota ao decretar o fim da Redução de Danos, política de cuidado e enfrentamento das violências políticas e sociais. Afirma que a lógica que será adotada é a da higienização e segregação de cidadãos que têm seus direitos aviltados de forma a impedir o acesso a forma de atenção que considera a complexidade de vida do sujeito, como é comprovado por vasto conhecimento teórico e prático produzidos. Ignora-se os aspectos éticos e técnicos que suportam a Redução de Danos.

O governo atual não possui a força de decretar o fim de algo que desconhece. Esse governo vai acabar e entrará para a história como uma “piada de mau gosto” que durou pouco tempo e caiu no esquecimento. Enquanto que a Redução de Danos continuará mudando histórias.

Indignação e revolta passam a permear nossa vida cotidiana. Mais uma vez, devemos manifestar nosso profundo desprezo ao governo conservador e reacionário que dirige nosso país. O anúncio do fim da política de cuidado baseada na Redução de Danos, também políticos, históricos e sociais, expõe uma vez mais a face de uma gestão que ignora os interesses públicos e o cuidado da população, especialmente a camada mais vulnerabilizada da sociedade.

A nova PNAD retoma seu papel de Política Nacional ANTIDROGAS, cuja lógica moralista e punitivista descarta o papel do estado no cuidado de pessoas em sofrimento psíquico decorrente do uso de álcool e drogas. Trata-se da falência das políticas públicas de atenção a pessoas historicamente violentadas pelo Estado.

Consideramos que a tentativa de anular a lógica de Redução de Danos, com seus princípios éticos e técnicos, representa a total falta de interesse em garantir o direito ao cuidado qualificado, integral e humanizado, em detrimento de interesses financeiros de instituições privadas, que fortalece a culpabilização do sofrimento e a marginalização das pessoas que, para o atual governo, devem ser silenciadas e invisibilizadas. Da mesma forma, busca calar as vozes dos defensores da garantia dos direitos e da dignidade humana, que encontram na Redução de Danos uma forma de compreender e acolher o sofrimento, transformando-o a realidade de sujeitos e coletivos.

Em nome de uma moralidade cínica e cruel, sustenta um discurso sem base prática ou teórica que o sustente. É vazio e distante da realidade daqueles que deixam de ser sujeitos de direitos para serem tratados como sujeitos com falha de caráter, que devem ser expurgados da sociedade que idealizam, desprovida de solidariedade e justiça.

 

Sã Consciência

São Paulo, 11 de abril de 2019

XVIII COPA DA INLUSÃO 2019

No mês da luta antimanicomial, no dia 15 de maio, será a abertura da XVIII Copa da Inclusão 2019, no SESC Interlagos, sendo realizado uma vez ao mês, dia 12 de junho, 17 de julho, 14 de agosto, 11 de setembro e 9 de outubro, das 10h as 17h. Participarão serviços de saúde mental, da capital e grande Sâo Paulo, sendo os protagosnistas da construção do evento os trabalhadores, usuários, familiares, estudantes e os militantes pelos direitos humanos. O objetivo é favorecer encontros, troca de experiências, espaço de cuidado e acesso, exposição de produções terapêuticas, seja no esporte, na arte, no lazer, na música, práticas integrativas entre outros em parceria com o SESC Interlagos. Nesse sentido, visa o fortalecimento do cuidado em liberdade e da reforma psiquiátrica antimanicomial. A Sã consciência receberá incrições durante todo o evento de maio a outubro. Informações: copadainclusao@gmail.com e inscrições: inscricoes.copadainclusao@gmail.com.

 Os encontros para a construção e organização serão divulgados por e-mail.

#PorUmaSociedadeSemManicômios