Copa da Inclusão

 

Realizada desde 2002, a Copa da Inclusão é um encontro esportivo, cultural e terapêutico. Dentro do contexto da reforma psiquiátrica, da luta antimanicomial e do fortalecimento do SUS, propõe o desenvolvimento de novas práticas, discursos e transformações. Solicita não apenas uma reforma psiquiátrica, mas uma revolução com a consolidação de uma RAPS que, efetivamente, promova mudanças no panorama da saúde mental. Desconstruções e construções são necessárias. Trata-se de direitos humanos, combate a relações de poder e protagonismo dos usuários sobre sua própria realidade. É uma iniciativa que propicia a integração, ressocialização e inclusão de usuários, profissionais e familiares dos serviços de saúde mental. Participam instituições de diversos municípios (São Paulo, Sorocaba, Suzano, Carapicuíba, São Bernardo, Itapetininga, Diadema, Ferraz de Vasconcelos, Barueri, Santo André, Mauá, Guarulhos e Mogi da Cruzes).

Consiste em atividades esportivas: torneios de futsal, vôlei, queimada, tênis de mesa, "mini maratona", dama, dominó, xadrez com equipes formadas pelos usuários dos Serviços de Saúde Mental, apresentação de oficinas terapêuticas (dança cigana, sentada, sênior, circular; capoeira, samba, etc) trazidas pelas instituições; show de talentos e feira de geração de renda, onde são expostos e vendidos produtos confeccionados pelos usuários.

Outra atividade importante é a rádio, que consiste em um espaço de integração e livre expressão, no qual os usuários narram os jogos, animam a torcida, cantam, entrevistam jogadores e torcedores. A rádio conta com uma programação musical, momentos para recados e declamação de poemas.

Além disso, são realizadas cerimônias de abertura e encerramento, com premiação a todos os participantes.

Para a realização do evento contamos com o auxílio de órgãos importantes como o Conselho Regional de Psicologia (CRP-SP) e o SESC  que desde 2005 tem sediado a Copa da Iclusão e tem sido um parceiro importante na organização.